30 de novembro de 2020

boliche.com.br

O mais completo site brasileiro

IBF APROVA BOLICHE DE CORDINHAS

5 min read
A nova era do Boliche Mundial.
boliche de cordinhas

A IBF (Federação Internacional de Boliche) a nova instituição global do boliche homologou neste domingo o boliche de cordinhas.

O denominado boliche de cordinhas é utilizado nos centros que possuem máquinas de reposição através de cordas presas às cabeças dos pinos.

A Federação Internacional de Bowling oficializou neste domingo, dia 8 de novembro, o que indicou que faria em uma ousada carta aberta na semana passada.

Ao anunciar a mudança de nome de World Bowling para IBF , Andrew Orem, presidente da instituição máxima do boliche mundial, prometeu homologar o Boliche de Cordinhas.

O comunicado à imprensa anunciando a certificação foi acompanhado pelos padrões oficiais (tradução abaixo).

O novo site da Federação Internacional de Boliche é o bowling.sport.

O Boliche de Cordinhas no Brasil

No Brasil, 80% das pistas instaladas (mais de duas mil) utilizam o sistema de cordinhas (“string”) para a reposição dos pinos.

Guy Igliori, presidente da Confederação Brasileira de Boliche, se manifestou sobre a nova política da IBF:

Aqui no Brasil já consideramos todos os torneios jogados em centros com máquinas de cordinhas com os mesmos critérios de boliches automáticos.”

“Para efeitos de ranking o que regula o peso dos pontos do torneio em boliches de cordinhas é a quantidade de jogadores e a representatividade federativa.”

Boliche de Cordinhas conforme a IBF

Informações prévias

Após extensa pesquisa e consideração, a IBF está adotando a tecnologia de reposicionamento de pinos pelo sistema de cordinhas.

Portanto, a IBF aprovou o uso das máquinas de cordinhas para ligas esportivas e torneios competitivos em todo o mundo (“Boliche Esportivo”).

Os centros que desejarem usar máquinas de cordinhas para a prática do boliche esportivo devem cumprir os requisitos estabelecidos neste documento (“Requisitos da IBF para os Centros de Boliche de Cordinhas”).

Esses requisitos têm como objetivo garantir a equidade entre os centros de máquinas de cordinhas aprovados.

Visa, também, o alinhamento máximo possível com os centros que utilizam máquinas de reposição por “queda livre” (utilização de garras).

A IBF apoia totalmente qualquer federação em todo o mundo que permita o uso de máquinas de cordinhas para a prática do Boliche Esportivo, especificamente, as Federações de Boliche que:

• Estendam as filiações aos Centros com máquinas de cordinhas compatíveis com os critérios IBF;

• Reconheçam as ligas e os torneios do esporte boliche que são realizados nos centros com máquinas de cordinhas em conformidade com os critérios da IBF;

• Homologuem médias e pontuações lançadas em máquinas de cordinhas nos centros em conformidade com os critérios da IBF.

Requisitos básicos

Os critérios abaixo são retirados de requisitos universalmente reconhecidos para o esporte boliche máquinas de “queda livre” (reposição de pinos por garras) e adaptados para centros de máquinas de cordinhas conforme apropriado.

Para ser um Centro de Cordinhas compatível com os critérios da IBF, esse centro deve atender aos seguintes requisitos:

1) Pistas

O centro de boliche deve possuir pistas de boliche compatíveis com a IBF.

Além de componentes de acordo com a versão atual dos Estatutos e Regras de Jogo da IBF*

*Capítulo 9: Especificações da pista, especificamente nas seções
9.1 Introdução,
9.2 Construção,
9.3 Aproximação,
9.4 Linha de falta e dispositivo de detecção,
9.5 Comprimento e largura,
9.6 Superfície e
9.7 Marcações ou Projeto.

2) Pin Deck

O espaço de posicionamento dos pinos (Pin Deck) deve estar de acordo com a versão atual dos Estatutos e Regras de Jogo da IBF, Capítulo 9: Especificações da Pista, seção 9.8.

3) Canaletas

As canaletas curvas e planas devem estar em conformidade com a atual versão das Regras de Jogo dos Estatutos da IBF, Capítulo 9: Especificações de Pista, seção 9.8.

4) Rebatedores

Para cumprir os requisitos da IBF para os centros de cordinhas, os aspectos de recuo são o material, a instalação, o espaçamento e a altura.

  • O rebatedor pode ser construído inteiramente de madeira resistente.
  • Podem ser usados outros materiais sintéticos, isoladamente ou em combinação com a madeira, que resultam em propriedades de desempenho considerados como madeira dura e sólida.
  • Os rebatedores devem ser instalados paralelamente à pista.

5) Placas dos Rebatedores

  • Os rebatedores devem se estender de um ponto oposto ou dentro de 15″ (381 mm) à frente do ponto do pino número 1 até a parede da almofada traseira. Veja Figura A abaixo:
  • A distância entre as faces de madeira dos dois rebatedores deve ser  60.125″ +/- 0.125″ (1527.18 mm +/- 3.75 mm). Veja Figura B abaixo:
  • A altura do rebatedor acima da pista deve ser 17″ (431.8 mm) ou superior.
  • Os rebatedores, atrás da régua, podem ser recobertos com fibra de vidro, fibra vulcanizada dura ou fenólica laminada (Grau “C” ou “CE”).
  • Os rebatedores podem ser cobertos com uma placa com espessura não superior a 3/16″ (4.78 mm).
  • Os seguintes materiais podem ser usados:
            Fibra dura vulcanizada
    • Fenólico laminado (Grau “C” ou “CE”)
  • Copolímero termoplástico rígido

Outros materiais podem ser usados, desde que tenham propriedades de desempenho consistentes com as listadas acima.

6) Pinos

Os pinos usados nas competições devem ser compatíveis com as regras e estatutos atuais da IBF*

*Capítulo 10: Especificações dos Pinos. Especificamente as seções
10.1 lntrodução,
10.2 Material,
10.3 Peso,
10.4 Acabamento,
10.5 Projeto e medidas, e
10.6 Manutenção de Pinos.

Esses pinos podem ser modificados com um pequeno orifício feito na parte superior e na lateral da cabeça do pino, com a finalidade de prendê-lo à corda.

Veja a figura C abaixo.

Após a remoção desse material do orifício, o pino deve permanecer dentro da tolerância de peso do pino permitida pela IBF.

Para promover um desgaste uniforme em todos os pinos e um jogo mais equilibrado, é recomendado que os centros de cordinhas em conformidade com as determinações da IBF mantenham um programa de rotação dos pinos que garanta que os pinos sejam trocados a cada 90 dias, no mínimo.

Boliche Mundial
Andrew Oram – CEO da IBF

Breve histórico da instituição mundial

A World Bowling foi reconhecida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) em 1979 como o órgão mundial governante do esporte do boliche e pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC) em 2019 pelo ParaBowling.

Em abril de 2014 aconteceu a união de todas as organizações internacionais de boliche sob a mesma denominação: World Bowling.

Em outubro de 2019 a World Bowling, nomeou Andrew Oram como seu novo Diretor Executivo.

Na pré-pandemia (março de 2020) formou-se a parceria gigante entre a World Bowling e a QubicaAMF Worldwide (QubicaAMF).

Em 3 de novembro de 2020, oficializou-se uma nova mudança na estrutura do organismo mundial de Boliche.

Composto por 114 federações membros em cinco zonas continentais, com mais de 2 milhões de atletas, a IBF visa incentivar o desenvolvimento internacional do esporte de 10 pinos, 9 pinos e Boliche Paralímpico.

A Federação Internacional do esporte Boliche será a única organização autorizada a usar “mundial” no título dos eventos.

1 thought on “IBF APROVA BOLICHE DE CORDINHAS

  1. SOY FRANCISCO ENTRENADOR PROFECIONAL INICIADOR DEL PROCESO DE ALTO RENDIMIENTO EN COLOMBIA EN 1995 FELICITAR ESTA APROBACION DE LOS CORDELES YA QUE AFECTA ,MUY POCO EN EL RENDIMIENTO Y MENOS EN LA FORMACION.SALUDOS PARA TODOS Y NO SE OLVIDEN QUE HAY 3 COSAS PARA SER …SALUD …DINERO Y AMOR. CONTESTO CUAQUIER PREGUNTA SOBRE NUESTRA DISCIPLINA. Email,frbowling@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *